Cadastro positivo começa a valer a partir de 9 julho

A tão esperada lista de bons pagadores

Você se considera um bom pagador? Se sim, provavelmente seu nome estará no cadastro positivo a partir do dia 9 de julho, uma lista de adesão automática alimentada pelos dados enviados por instituições financeiras, lojas e empresas de serviços indicando quem paga suas contas em dia. 

O objetivo do cadastro positivo é dar vantagens para quem é bom pagador, uma delas é juros mais baixos em financiamento, as instituições financeiras agora passam a avaliar os consumidores por meio deste cadastro.

Antigamente os bons pagadores acabavam pagando o pato pelos maus pagadores, isso porque existia somente a lista do cadastro negativo, sendo assim, as empresas e bancos faziam uma padronização dos juros, levando em conta sempre o pior cenário. 

Agora o score - nota que o consumidor recebe por instituições como Serasa Experian e Boa Vista Serviços e leva em consideração o seu relacionamento com bancos e outras instituições financeiras - tem uma influência ainda maior na liberação de crédito.

Neste cenário, muitos economistas acreditam que os juros possam cair, contudo, como o cadastro ainda é recente, estimam que ainda pode demorar um pouco para isso fazer a diferença na vida do consumidor. Contudo, eles recomendam que os consumidores verifiquem seu score e peçam “descontos” nas taxas de juros na hora de negociar. 

E quem não quiser fazer parte da lista?

Apesar das vantagens, algumas pessoas preferem não ter seus dados em uma lista para todo mundo ver, já que a inclusão é automática. Neste caso, a pessoa pode solicitar a exclusão a qualquer momento. Os canais são: o site, o atendimento telefônico de SAC ou uma agência de uma gestora de bancos de dados como SPC Brasil, Boa Vista e Serasa.

Como ser um bom pagador

O cadastro positivo é mais um motivo para ser um bom pagador. Por isso, confira algumas dicas de como ser bom pagador e aumentar seu score:

  • Pague as contas em dia: pode parecer óbvio, porém, muitas vezes atrasar uma conta durante um ou dois dias, já pode fazer a diferença no score. Se organize para que as datas de vencimento sejam depois do dia que você recebe o salário.
  • Não comprometa mais de 20% da sua renda com financiamento: isso evita que em alguma situação de crise você atrase ou não pague os financiamentos e ainda tenha que pagar juros.
  • Tenha contas em seu nome: por mais que você esteja pagando em dia, se as contas estiverem no nome de outra pessoa, isso vai para o score dela. Quanto mais contas em dia, melhores são suas chances.
  • Mantenha seus dados atualizados: além de ter contas no seu nome, suas informações precisam estar atualizadas, como comprovante de residência e dados bancários.
  • Negocie suas dívidas: entre em contato com as empresas e verifique o que pode fazer para quitar as dívidas. Se passarem de 90 dias, o peso é maior na diminuição do score. E se, por exemplo, precisar dividir, certifique-se que as parcelas cabem no seu bolso. 
  • Cuidado com os pedidos de crédito: pedir empréstimos, cartões de créditos e aumento de limite com uma frequência grande reflete diretamente no score. As instituições entendem que a pessoa que faz tudo isso ao mesmo tempo pode estar interessada em agir de má fé. Especialistas recomendam um intervalo de 6 meses, pelo menos, para fazer esse tipo de pedido.

E se você ficou curioso para verificar seu score, no site Serasa Score (https://www.serasaconsumidor.com.br/score/) é possível verificar de maneira rápida e segura, basta criar um login com suas informações. Assim você descobre se você é um bom pagador. E no dia 9 de julho você poderá verificar também se seu nome está no cadastro positivo.