IR 2020: prazo para entrega é prorrogado, mas não deixe para última hora

A data limite passou de 30 de abril para 30 de junho

Se você ainda não declarou o Imposto de Renda, a notícia é boa, a Receita Federal adiou por dois meses a entrega final por conta da crise do novo coronavírus. Alguns contribuintes estão tendo dificuldades de reunir os documentos, isso porque podem estar no escritório ou na empresa e fica inviável ter acesso com o isolamento social. O novo prazo é o dia 30 de junho, antes era 30 de abril. 

Até o dia 30 de março a Receita Federal já havia recebido cerca de 8,2 milhões de declarações, a expectativa do fisco é de receber 32 milhões. Em geral, metade dos contribuintes deixam para fazer a declaração nos últimos 10 dias, além disso, de 20% a 30% só entregam na última semana. 

É vantajoso entregar antes, porque quanto mais cedo for realizada a declaração, e não houver erros ou inconsistências, mais cedo é possível receber a restituição também. O primeiro lote é liberado para idosos, pessoas com deficiência e portadores de doença grave. 

Este ano houve uma mudança nos lotes de pagamento. Ano passado foram sete lotes, em 2020, serão apenas cinco. A Receita ainda não divulgou se haverá alteração também no calendário de pagamentos. 

Outra mudança em 2020 é que pessoas físicas não poderão mais fazer a dedução de gastos com a previdência de empregados domésticos. O objetivo da mudança é elevar a arrecadação.

Quem deve declarar

Existem algumas regras básicas para ser contribuinte, a principal é: devem declarar o imposto de renda cidadãos que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019. O valor permanece o mesmo do ano anterior.

Além disso, quem realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e semehalntes em 2019, também deve declarar. As pessoas que, no ano passado, tiveram receita bruta superior a R$ 142.798,50 em atividade rural também se enquadram. Bem como os que eram proprietários de bens superiores a R$ 300 mil até o final de 2019. No site da Receita Federal é possível verificar todos os casos e descobrir se você se enquadra em algum deles.

Onde fazer a declaração

Há quem conte com um serviço de um contador para realizar a declaração, outros preferem fazer em casa por conta própria. Independente da sua escolha, a Receita Federal disponibiliza no site o programa do IRPF. A instalação é gratuita.

No site também é possível acompanhar as instruções de preenchimento, isso evita que você cometa algum erro e tenha problemas após a entrega.

É obrigatório declarar

A medida de adiamento não anula o fato de ser obrigatório declarar o IR. As pessoas que não declararem ou entregarem fora do prazo devem pagar multa de, no mínimo, R$ 165,74. A taxa pode chegar até 20% do imposto devido. 

Mesmo que o prazo tenha sido adiado, organize-se para entregar o mais rápido possível, isso garante que você receberá mais cedo a restituição. Esteja atento às informações enviadas, caso haja alguma inconsistência, você ainda terá tempo para corrigir. 

Tags: imposto de renda

Veja mais