Parar de trabalhar ao se aposentar é realmente a melhor escolha?

Qualquer trabalhador brasileiro que preencha os requisitos para se aposentar tem todo o direito de voltar ao trabalho

Você sabia que somente 25% dos brasileiros espera parar imediatamente de trabalhar após se aposentar? E mais de dois terços (69%) esperam continuar trabalhando de alguma forma após a aposentadoria normal. O dado parece ser positivo visto que a população do país é uma das que mais envelhece no mundo.

Segundo levantamento realizado pela Mongeral Seguros e Previdência, 32% dos entrevistados mudará a forma como trabalha basicamente diminuindo a quantidade de horas trabalhadas. Ou seja, trabalhará meio período ou em contratos temporários, porém somente por um tempo antes de parar completamente. Veja o infográfico abaixo:

Qualquer trabalhador brasileiro que preencha os requisitos para se aposentar tem todo o direito de voltar ao trabalho, sem nenhum prejuízo para o recebimento de sua aposentadoria. Mas há uma ressalva: “Não é permitida a isenção dos descontos previdenciários. Ou seja, mesmo recebendo a aposentadoria, a contribuição para o INSS será descontada do salário mensalmente”, lembra a advogada Luciana Martins de Oliveira.

Os prós e contras
Pode ser tentadora a ideia de se aposentar logo e continuar trabalhando. Mas é bom fazer as contas direito para não sair no prejuízo. Depois de entrar com o pedido de aposentadoria, você não poderá pedir uma reavaliação dos valores recebidos, a não ser por meio de uma ação judicial.

Além disso, lembre-se de que, mesmo contribuindo com a Previdência Social, o aposentado não tem direito aos mesmos benefícios de quem está na ativa. Uma vez aposentada, a pessoa perde o direito a receber outros auxílios, mesmo que continue a trabalhar e a contribuir com o INSS. O exemplo clássico é o de quem se aposentou, continuou a trabalhar e sofre um acidente de trabalho. Nesse caso, ele não terá direito a nada além da aposentadoria que já recebe. “A exceção fica por conta do salário família e a reabilitação profissional, um tratamento oferecido para quem adoece e precisa de uma terapia especializada para voltar a trabalhar”, afirma a advogada Marina Damini.