Você é um acumulador?

Hábito pode virar doença, descubra os principais sinais

Guardar lembranças e memórias é um comportamento de boa parte das pessoas, contudo, quando essa ação é exagerada, ao ponto da pessoa não conseguir transitar dentro de casa por conta de tanta coisa guardada, pode ser um problema. Isso é chamado de transtorno de um acumulador e pode ser muito prejudicial para quem acumula e para quem convive.

Existem alguns sinais clássicos que indicam se esse hábito saiu do controle. O primeiro a ser considerado é quando a pessoa já perdeu o espaço físico que ela tem para viver, isso gera um conflito dentro de casa e até o simples fato de ir de um cômodo para outro pode ser um desafio.

Outro sinal é a ansiedade ou desespero quando tem que descartar alguns objetos, se você se sente mal em jogar fora algo que você sabe que não terá utilidade nunca na sua vida, fique atento.

As pessoas acumuladoras também não se sentem bem em ter tudo aquilo, muitas vezes o sentimento é de sufoco ou vergonha. Em contrapartida, eles não gostam que as outras pessoas mexam nos objetos, e podem desconfiar, com frequência, de que estejam descartando os itens.

Em outra fase, o acumulador acaba perdendo o controle da situação. O local que ele vive acaba virando insalubre, por conta da impossibilidade de transitar e limpar. Consequentemente essa pessoa não tem mais o mesmo comportamento, se isola nesse espaço, não tem vida social ativa.

Em geral, a soma do isolamento com o desejo que as pessoas não mexam nas coisas acumuladas cria uma situação hostil. É comum haver brigas em casa, com parentes, amigos ou vizinhos. Esse é o principal sinal de descontrole e de que está na hora de procurar ajuda. 

Previna-se

Qualquer pessoa pode se tornar um acumulador, contudo, é possível ser consciente e tomar alguns cuidados. A primeira dica pode parecer óbvia, mas faz a diferença, tente se livrar de tudo que não usará posteriormente. Recebeu jornais e revistas que não tem a intenção de ler de novo? Leve para a reciclagem. 

Você pode também estabelecer um tempo máximo para guardar um objeto, se não usou durante 1 ano inteiro, não tem perspectiva de usar novamente no próximo ano. Outra ideia relacionada ao tempo é usar 15 minutos do dia para organizar as coisas dentro de casa, jogar papéis de propaganda fora, embalagens de produtos, etc. 

Crie a rotina de quando for comprar, por exemplo, roupas novas, retire algumas do guarda-roupa para doar, se estiverem em boas condições. Senão, descarte-as. A cada objeto novo, um velho sai de casa.

É possível controlar

Se você conhece alguém ou está sofrendo os sintomas, não precisa ficar preocupado. O mais aconselhável para tratar esse tipo de transtorno é o acompanhamento com um psicólogo, a terapia comportamental pode ajudar o paciente a descobrir as causas da acumulação.

Para quem tem outros problemas associados, como ansiedade ou depressão, o psicólogo também dará toda a orientação, caso seja necessário o trabalho de um psiquiatra em paralelo. O mais importante é procurar ajuda.

Tags: acumulador consumo finanças

Veja mais