Covid-19: O que se sabe sobre a variante ômicron

Com grande mutação, a nova variante reacendeu o debate da vacinação em países mais pobres

Classificada em 26 de novembro de 2021, a nova variante do coronavírus, registrada como ômicron, já circula pelo mundo.

Descoberta por pesquisadores em Botsuana, África do Sul, e considerada uma variante de preocupação pela ONU, a Ômicron entrou para a lista de variantes do coronavírus que talvez possa piorar o estado da pandemia mundial.

Atualmente, somente 3% da população da África recebeu imunização contra o Covid-19.

Várias perguntas ainda precisam ser respondidas, especialmente no que se refere à transmissibilidade e letalidade da variante que, até o momento, já foi encontrada em mais de 40 países.

No Brasil, 6 pessoas tiveram a infecção pela variante ômicron confirmada, estando as 6 em retorno de viagens internacionais, o que ainda não causa nas autoridades de saúde brasileiras o alerta de possibilidade de transmissão comunitária.

Detectada recentemente, a ômicron traz diversas mutações em partes importantes do coronavírus, como a espícula. Responsável por se conectar com o receptor das células humanas e dar início à infecção, essa composição do vírus representa um dos maiores riscos da variante: para os especialistas, a ômicron porta uma quantidade anormal de mutações e tornou-se uma preocupação para a eficácia das vacinas.

Estudos sobre o poder de geração de anticorpos dos imunizantes disponíveis no mundo contra a ômicron já começaram a ser realizados, bem como pesquisas para definir acertadamente o nível de transmissibilidade e letalidade da nova variante.

Todos os brasileiros infectados estão em isolamento e passam bem: três deles não têm sintomas e os outros três desenvolveram sintomas leves. Todos estão vacinados entre duas e três doses.

Para a ONU, que, apesar de considerar a ômicron uma variante de risco, tem alertado o mundo para manter a calma e aguardar resultados, a nova variante pode ser vencida pela precaução: as medidas sanitárias não devem ser abandonadas.

Use máscara, vacine-se e previna-se contra o Covid-19.